Filho único: Aprendendo a ser mãe de apenas um filho

junho 16, 2016
Nos cenários de hoje é comum existirem famílias com apenas um filho, o que não significa que a pressão sobre os pais sejam mais tênue do que para àqueles que tem mais filhos. Além de que a atenção é total e exclusivamente voltada para esta criança. Sonhos, frustrações, conquistas e derrotas dos pais são todas direcionadas à este filho único o que pode causar um ¨peso¨ para esta criança.

O que influencia negativamente na educação de um filho único: superinteligência, superproteção, fracasso na disciplina, compensação excessiva, buscar a perfeição, tratar o filho como adulto e elogiar demais.

Equilíbrio é a palavra chave. Achar a medida certa é fundamental para que a criança cresça, se desenvolva e aprenda a lidar com as frustrações e responsabilidades ao longo da vida. O aprendizado no que se refere a ceder, negociar e abrir mão, fazem parte dos ¨limites¨, regras, saber ouvir, esperar, respeitar uma opinião contrária a sua e de se colocar no lugar do outro.
Isto pode ser aplicado nas horas lúdicas dedicadas ao seu filho.

Helena Narita
Psicóloga clínica
Rua Uruguaiana, 516 - Bosque
Tel: (19) 3254-0342
Tecnologia do Blogger.