Como cresce o rosto das crianças

junho 11, 2018
Aos 4 anos 60% do crescimento facial já está completo. Aos 7 anos, 70% e aos 12 anos 90% do total do futuro crescimento facial já se completaram 





De acordo com o professor-convidado do Curso de Ortodontia e Ortopedia Facial da Universidade Federal do Paraná,  Gerson I. Köhler, esta é uma constatação que não é nova. É conhecida desde a metade do século passado (XX) e resultou de estudos e pesquisas de um pediatra americano chamado Dr. Meredith. Observe os percentuais descritos  acima e raciocine conosco: para que esperar a idade adolescente para tratar as questões de crescimento alterado que estejam deformando a face infantil, principalmente a região dentofacial, que inclui a boca e seu conteúdo?
Para o especialista da Köhler Ortofacial, Juarez Köhler, as causas das inadequações da região dentofacial, ou dito de outra forma, os problemas ortodônticos e ortopédicos que podem se expressar no rosto da criança, não estão somente centrados no posicionamento incorreto dos dentes em suas respectivas arcadas ósseas.
Estes problemas são, na verdade, uma questão de alteração do crescimento e desenvolvimento geral da face infantil.
 No entender do especialista Gerson I. Köhler, deixar de procurar pelos recursos terapêuticos atualmente disponíveis – quando anomalias dentofaciais sejam precocemente detectadas (em tenra idade) – pode caracterizar uma atitude de falta de cuidados e de atenção para com o que ocorre em termos  de inadequação com relação à forma, ao aspecto, às funções e à saúde e beleza da face da criança.
Juarez Köhler, membro especialista da ABOR – Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial, enfatiza que, tomando-se por base os percentuais de crescimento ainda por ocorrer no rosto das crianças, podemos afirmar, numa espécie de raciocínio inverso aos percentuais apresentados logo ao início deste artigo, que, aos 4 anos nos restam apenas 40% de potencial de crescimento ortopédico por ocorrer. Já aos 7 anos restam apenas 30% e aos 12 anos apenas 10%.
O diretor clínico-administrativo da Köhler Ortofacial, Gerson I. Köhler, chama a atenção de pais de crianças pequenas para o fato de que – dentro desta lógica de raciocínio – à medida em que não ocorra uma intervenção tempestiva e oportuna dos desvios de crescimento em curso, ocorre uma progressiva perda de potencial terapêutico.
Significa dizer – enfatiza o especialista –  que se vai, gradativamente, perdendo potencial de cura efetiva dos desvios de crescimento dentofacial presentes.
No entendimento de Juarez Köhler, este conceito – premissa básica da ciência denominada Ortopedia Facial – nos informa que, quanto mais tarde uma criança portadora de anomalias dentofaciais (que estão sempre em contínua progressividade) for diagnosticada e monitorada, menores podem ser as chances e possibilidades de devolver o pleno potencial de crescimento e desenvolvimento ao rosto infantil.
O professor Gerson I. Köhler, mais uma vez chama a atenção aos pais de crianças, para o fato de que as normalizações terapêuticas (o tratamento em si, que pode se iniciar apenas com observa ções periódicas das crianças) podem necessitar de cuidados especiais não só com relação às estruturas faciais em sua morfololgia (forma) mas principalmente com relação à sua funcionalidade (respiração, deglutição, mastigação, fonação, etc.).
Para melhor exemplificar o que acontece com crianças que não tem o crescimento e desenvolvimento de seu rosto monitorado terapêuticamente, os especialistas da Köhler Ortofacial citam dados recentes quanto à área da plasticidade facial.
O setor biomédico da renomada Universidade de Harvard (EUA) nos informa que, entre adolescentes, 92% daqueles entre 15 e 17 anos, responderam, em pesquisa efetuada, que gostariam de efetuar alguma mudança em relação à forma corporal. E a face – o rosto – neste contexto, assume uma signigicação especial, com absoluta predominância sobre a preocupação dos mesmos em relação aos defeitos no restante do corpo.
Juarez Köhler enfatiza também que a mesma pesquisa revelou, que 72% dos adolescentes em geral – portadores de anomalias dentofaciais (questões ortodônticas) –  evitavam participar de atividades corriqueiras tais como ir à escola, a uma festa, à academia, ao clube ou mesmo dar uma opinião em seu grupo de amigos, pelo fato de não estarem se sentindo bem com a própria aparência, principalmente de seu rosto. Uma séria questão de auto-imagem e auto-estima presentes na vida destes jovens.
 Gerson I. Köhler, com a experiência e expertise de seus 35 anos de atividade clínica em Ortodontia Pediátrica e  Ortopedia Facial, revela que os jovens adolescentes podem ter – às vezes de forma dramática – sua autoestima e auto-imagem prejudicadas por alterações dentofaciais que não tenham sido tratadas antes desta fase de sua vida.
Ambos os especialistas, com atuação clínica em Curitiba, enfatizam que não se pode menosprezar o fato de que – em termos de defeitos corporais (ai incluidas as anomalias dentofaciais/questões ortodônticas e ortopédicas faciais) – o rosto é o nosso cartão de apresentação para com o mundo. Isto colocado, sua falta de harmonia e beleza pode vir a interferir, de forma danosa e às vezes irreversível sobre os níveis de bem-estar (auto-estima e auto-imagem) das crianças e adolescentes.
Köhler Ortofacial apresenta, na gama de condutas terapêuticas que utiliza para o diagnóstico e tratamento das anomalias dentofaciais, um protocolo especial para cuidar do crescimento facial de crianças em idade pré-escolar, denominado “Monitoração Ortopédica da Face Pediátrica”.
Portanto, como recado final aos pais de crianças, os especialistas da Köhler Ortofacial(Ortodontia Pediátrica e Ortopedia Facial) informam que, cuidar bem do crescimento e desenvolvimento do rosto infantil, na precocidade que se fizer necessária, é uma importante responsabilidade dos pais com relação a seus pequenos, pois, desta atitude de alerta podem depender a felicidade, o bem-estar e a qualidade de vida de seus filhos.
FONTES CONSULTADAS:
– Juarez Köhler e Gerson I. Köhler são membros especialistas da ABOR – Associação Brasileira de Ortodontia e Ortopedia Facial, entidade ligada internacionalmente a World Federation of Orthodontists (WFO), nos EUA.
Tecnologia do Blogger.