Profissionais da área dão dicas para incentivar a leitura desde a primeira infância

setembro 19, 2018
Um adulto apaixonado pelos livros, provavelmente, foi uma criança que leu bastante e criou o hábito pela leitura



Sabemos que as crianças aprendem muito seguindo os exemplos dos mais velhos. Por isso, é tão importante que os pais, cuidadores e professores, desde cedo, consigam inseri-las no universo amplo da leitura. Ler para uma criança amplia o universo de compreensão dela. Brincar com as palavras, incentivar a busca pelo novo, pelo conhecimento faz parte do processo de aprendizado e crescimento.

“É fundamental proporcionar experiências novas aos pequenos, e com os livros não é diferente. O quanto antes eles devem explorar todas as sensações que um livro oferece: textura, cheiro, peso e as cores”, diz Ângela Aranha, proprietária da livraria Casa de Livros, que há mais de 30 anos proporciona leitura de boa qualidade aos clientes. Com isso, aos poucos, também nasce neles a consciência de preservar os exemplares. “O que mais me deixa satisfeita é ver o vínculo de afeto e cuidado que nasce nessa relação”, completa.

Através das histórias lúdicas, as crianças descobrem formas, cores, movimentos, ilustrações, e a percepção de que existe vida dentro do livro. “É na primeira infância que elas começam a fazer suas escolhas, faz parte do amadurecimento infantil. Os pais devem oferecer opções diferentes para ampliar o repertório das crianças”, diz Paula Medeiros, Coordenadora de Desenvolvimento do Material Didático de Português do Kumon.

Ainda de acordo com Paula, proporcionar um ambiente agradável e estimulante dentro de casa, com livros ao alcance para que possam pegar um exemplar sempre que tiverem vontade são pontos consideráveis. “Uma estante acessível já é suficiente para manter os livros ao alcance de todos”. Confira abaixo, outras dicas para estimular o hábito pela leitura.

  1. Ler em voz alta em família. A leitura em voz alta estimula a interação e desperta o interesse pela leitura;
  2. Falar de livros, recomendar títulos e presentear as crianças;
  3. Sugerir e não impor. Compartilhar leituras e opiniões;
  4. Organizar em casa um espaço específico para leitura, que seja atrativo e aconchegante, com almofadas, tapetes, pufes e, claro, muitos livros. A criança vai perceber como a leitura é importante e agradável ao ter um espaço reservado para essa prática;
  5. Visitar bibliotecas e livrarias para explorar e descobrir novos livros interessantes. Isso também ajuda as crianças a perceberem que um ambiente em que diversas pessoas estão lendo pode ser divertido e estimulante.



Criado no Japão em 1958, pelo professor Toru Kumon, o método utiliza os chamados exercícios-guia para que o aluno realize as atividades com o mínimo de intervenção do orientador. Somente após absorver totalmente a informação, avançam para os níveis subsequentes. "O aprendizado segue na simplicidade do papel e lápis. O que se escreve de próprio punho não se esquece, e é isso que faz com que o Kumon esteja em tantos países", diz Masami Furuta, presidente da empresa no Brasil. O método está presente em 50 países e reúne 4,35 milhões de estudantes. No Brasil são mais de 1.400 unidades em 550 cidades, somando mais de 160 mil alunos, dos 180 mil na América do Sul.

Nenhum comentário:

lembre-se de colocar seu email para @mariababona entrar em contato! beijos

Tecnologia do Blogger.